Especula-se que a domesticação dos gatos data de 1.600 A.C, porém achados paleontológicos

sugerem que há 8.000 anos os gatos já estavam presentes no convívio doméstico.

Atualmente, em pleno século 21 ainda temos muito que desmistificar sobre os gatos.

Gatos são mesmo seres muitos diferentes, não no sentido que normalmente lhes é atribuído, identificando-os como egoístas, territorialistas e interesseiros e com uma conotação de misticismo. Somente quem nunca conviveu com um gato ou por eles não nutre nenhum apreço pode fazer tais afirmações.

O gato tem um universo próprio, personalidade própria que assemelha muito à humana.

Ficam chateados e demonstram isso, diferentemente do cão podemos perceber quando um gato gosta ou não de uma pessoa, não é raro que nós proprietários de gatos observemos não raramente, quando recebemos uma pessoa em casa e o gato simplesmente “some” e após a ida da visita, reaparece .

Do ponto de vista médico veterinário os gatos não exigem cuidados muito complexos.

Em geral uma ração de boa qualidade, (sempre evitando as marcas comerciais que aparecem na propaganda da tv aberta, ajuda, principalmente àquelas com pellets coloridos). Potes limpos com frequência, água sempre fresca e caixa de areia limpa ao menos duas  vezes ao dia, e sempre considerando a conta : 1 gato = à 2 caixas;2 gatos = à 3 caixas e assim por diante.

Arranhadores são bastante recomendados caso os tutores queiram poupar o sofá e afins, brinquedos simples como bolinhas de papel e caixas de papelão de qualquer tipo são sempre bem vindas, os felinos adoram. Comento sempre que brinquedos para gatos são mais ou menos como para bebês , os pais compram fisher price e eles gostam mesmo de brincar com tuperwares. Você compra um brinquedo super caro para o gato e a alegria dele é brincar com a bolinha de papel feita com o cupom de compras do supermercado.

Os banhos, nos gatos são menos necessários que nos cães, o gato por si só consegue uma excelente higiene pessoal já que possui em sua língua espículas que ajudam na efetividade da limpeza.

As vacinas devem ser realizadas anualmente ( quadrupla ou quíntupla e anti-rábica), vermífugo com intervalos de 3 a 4 meses dependendo do habitat do gato e anti-pulgas com a frequência também de acordo com seu habitat.

O que devemos sempre estimular no gato é qualquer atividade física, a obesidade não é saudável, como já se sabe em nenhuma espécie.

No gato a obesidade de forma geral predispõe à doença renal crônica e diabetes, doenças tratáveis, mas com prognóstico reservado.

Na dúvida de como manejar o seu bichano, procure auxílio do médico veterinário, que estará sempre à disposição para esclarecimentos.

Gatos: uma vez que se têm , não é possível viver sem.

 

Ana Paula Sabião
Médica Veterinária – CRMV/PR 13459